Campanha “Um Gol pelos Direitos de Crianças e Adolescentes” ganha novas adesões

Escrito por Débora Black.

Atriz Daisy Lúcidi, empresas e entidades do setor de turismo se engajam na campanha de prevenção a exploração sexual de crianças e adolescentes. Novas ações acontecem no Carnaval.

 
A campanha “Um gol pelos direitos de crianças e adolescentes. Exploração sexual não é turismo, é crime”, acaba de ganhar um apoio que tem simbologia especial.
 
A atriz Daisy Lúcidi, que recentemente integrou o elenco da novela "Passione", de Sílvio de Abreu, na pele da avó que explorava sexualmente as netas, vestiu a camisa da luta contra a exploração sexual de crianças e adolescentes. A campanha é parte do projeto “Prevenção à exploração sexual de crianças e adolescentes no turismo” do Ministério do Turismo, coordenado pelo Centro de Excelência em Turismo da Universidade de Brasília.
 
“Estou engajada e à disposição do projeto, que tem tudo para fazer a diferença e que tenta, de maneira séria, acabar com o problema da exploração sexual. E começar quatro anos antes da Copa do Mundo foi uma decisão perfeita”, ressalta a atriz.
 
Novas ações em 2011 Uma nova ofensiva da campanha acontece antes e durante o Carnaval. Em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, o Ministério do Turismo realizará ações de esclarecimento e prevenção nos destinos turísticos que atraem o maior número de foliões.
 
Este ano, o programa Turismo Sustentável e infância também capacitará jovens de 17 municípios de Goiás, Pernambuco, Espírito Santo e Maranhão. As ações fazem parte do projeto Inclusão Social com Capacitação Social, criado em 2008. Cinquenta por cento dos adolescentes capacitados estão empregados formalmente.
 
“Em um momento em que o país se prepara para receber grandes eventos como a Copa do Mundo, com consequente aumento do fluxo turístico, estamos trabalhando para que esse turismo seja sustentável também do ponto de vista dos direitos humanos. A cadeia turística está dando sua contribuição para prevenir a exploração sexual de crianças e adolescentes”, afirma Elisângela Machado, coordenadora de projetos de turismo do Centro de Excelência em Turismo da UnB.
 
Resultados da campanha Lançada em dezembro passado, nas doze cidades sede da Copa do Mundo e João Pessoa, a campanha tem atraído também o apoio de entidades do setor de turismo e empresas em todo o país.
 
Governos estaduais, Secretarias Municipais de Turismo, ONGs, entidades que reúnem hoteleiros, bares e restaurantes, agentes de viagem; Sebrae; Federação Brasileira dos Albergues da Juventude (FBAJ); empresas de receptivo turístico, locadoras de automóveis, redes hoteleiras e sites de turismo são parceiros do projeto. Organismos internacionais como OMT, OIT e Unicef também somam esforços. Em todos os estados, o setor público está engajado, via secretarias de turismo ou de direitos sociais.
 
A campanha usa também nas redes sociais para mobilização - Facebook, twitter, orkut e flickr. As redes espalham informações sobre o tema, estimulando a denúncia por meio do Disque 100 e a adoção de um Código de Conduta pelos empresários do setor do turismo.
 
De dezembro de 2009 até fevereiro deste ano, o projeto do Ministério do Turismo, executado pela UnB já formou cerca de 600 profissionais qualificados para atuar na prevenção dos casos de exploração durante a Copa do Mundo de 2014 e replicar o conteúdo da formação em todo o território nacional.
 
Site oficial da campanha: http://www.cet.unb.br/turismoeinfancia/procopa/
 
Informações para a imprensa: Paloma Santos (Imprensa MTur) - (61) 2023-7023 / 9222-5285