EM ITAIPU

Escrito por Imprensa POLOIGUASSU.

EM ITAIPU

“Saudade da melhor fase da minha vida”, desabafa antigo barrageiro

A afirmação foi feita por Eli Rodrigues de Souza, hoje aposentado de Itaipu, ao
percorrer junto com os demais colegas, o local onde trabalhou por muitos anos
 
Divididos em dois grupos, parte dos antigos operários que ajudaram a construir a usina
de Itaipu, participaram na sexta-feira (19), de uma visita que proporcionou ao grupo
momentos de muita emoção ao rever o local de trabalho e, com ele, as lembranças do
período de construção da Itaipu Binacional.
Além de visitar a usina, eles finalizaram o passeio percorrendo o Parque Tecnológico
Itaipu (PTI), com uma parada especial no “Espaço do Barrageiro”, local mantido em um
dos blocos do PTI que reproduz cenários do período da construção da usina. A ação faz
parte do projeto-piloto “Barrageiros no Turismo”, desenvolvido pela Fundação PTI em
parceria com apoio do Instituto Polo Internacional Iguassu que está acompanhando as
fases do processo seletivo. Os quatro identificados com perfil potencial para atuar no
projeto, tendo como pré-requisito básico habilidade para comunicação e conhecimento
do histórico de Itaipu, passarão a auxiliar os monitores na recepção dos visitantes ao
Completo Turístico Itaipu.
 
“Estou emocionado. São muitas lembranças boas da melhor época da minha vida”,
disse o antigo barrageiro Eli Rodrigues de Souza ao entrar no “Espaço do Barrageiro”
e depara-se com a originalidade da época retratada no local. Logo de início, ele
identificou o capacete da Unicon, empresa terceirizada na época da construção e
desabafou: “esse capacete era meu; sinto um aperto no coração ao estar neste lugar e ver
que eles conseguiram manter tudo do jeitinho que era”.
 
José Augusto de Freitas, que entrou na Itaipu em 1975 e José Miguel Simões Nehemy,
em 1978, não escondiam a satisfação ao ver o espaço e, junto com os demais parceiros
de obra, relembrar as histórias da fase de construção. “Esse passeio me fez um bem
enorme”, disse Freitas ao acrescentar que por um tempo, mesmo depois de aposentado,
sonhava que estava trabalhando na Itaipu.
 
Valorização
 
De acordo com uma das coordenadoras do projeto, inserida no Polo Iguassu, Michele
Tolentino, a iniciativa de reunir os identificados foi uma forma de valorizar o trabalho
desempenhado por eles ao longo de muitos anos. “Eles atenderam ao nosso chamado
e nada mais justo do que os presentearmos com uma visita nos locais onde, por vários
anos, desempenharam sua função”.
 
Para finalizar, Michele destacou que todos significam uma grande contribuição para a
construção do “Espaço do Barrageiro”, local que agrega história e cultura de um tempo 

que não volta mais.

José Augusto de Freitas tentando identificar os personagens da foto de 1975